Argentina Salta

Salta: folclore e cultura ancestral

Como mostramos nesse post sobre Cafayate, a província de Salta – também conhecida em todo o país como “la linda” – foi a nossa porta de entrada para as riquezas culturais e naturais do norte argentino. Porém, antes de seguir viagem aos vales secos do Vale Calchaqui, Iruya e da província de Jujuy, a capital Salta é uma escala obrigatória. A cidade é uma base importante para os viajantes que buscam facilidade de logística rumo ao norte, combinada com boas atrações turísticas. Uma paradinha em Salta vai ajudar você a entender melhor a história e a cultura que irá encontrar nas montanhas do norte.

O que fazer em Salta

Recomendamos que você reserve 2 ou 3 dias na capital, para ter tempo de  conhecer o centro, visitar o Museu de Arqueologia de Alta Montanha e jantar em alguma peña de folclore.

O centro de Salta

Como antiga colônia espanhola, a cidade tem um dos legados arquitetônicos mais bem preservados da Argentina. Por isso, no centro você vai encontrar edifícios como o Cabildo, o mais antigo da cidade, a Catedral e o Convento San Bernardo. Além disso, recomendamos que você caminhe tranquilamente pela Plaza Central, observe um pouco o cotidiano local e pare para comer umas boas empanadas salteñas. Nós fomos no El Farito, que está bem na praça, e adoramos.

Edifício do Cabildo

Edifício do Cabildo

 

Em frente à Catedral

Em frente à Catedral

 

Museu de Arqueologia de Alta Montanha

Na praça, também está o MAAM. Gostamos tanto do museu que, se tivéssemos apenas um dia na cidade, essa seria a visita indispensável. Lá estão algumas das descobertas arqueológicas mais importantes da última década e o circuito oferecido vai transportar você ao universo andino de adoração às montanhas.

No MAAM, estão expostas as famosas múmias do Llullaillaco, consideradas as mais conservadas do mundo. São três crianças incas que foram enterradas há 500 anos no cume desse vulcão: La niña del rayo, La Doncella y El niño. Por serem consideradas sagradas, as montanhas mais altas eram escolhidas pelas antigas civilizações para a realização de rituais, onde crianças eram oferecidas em sacrifício por um novo ano de fertilidade. Essas cerimônias eram chamadas de “capacocha” – que significa “obrigação real” – e aconteciam em situações específicas, como catástrofes climáticas ou mudanças no reinado inca.

Os corpos dos “Niños del Llullaillaco” estão praticamente intactos, em função das baixas temperaturas e da pouquíssima presença de oxigênio nos quase 7.000 metros de altura acima do nível do mar onde foram encontradas as crianças. A descoberta foi feita em 1999, por uma equipe formada por 5 pesquisadores de diversos países. Depois de muitas polêmicas sobre a decisão de expor as múmias e tirá-las do seu local sagrado, hoje o museu expõe uma por vez, revezando a cada seis meses.

Durante a visita, recomendamos que você não pule etapas. Dedique um bom tempo para ler as explicações e observar todas as descobertas arqueológicas feitas nas montanhas de Salta. Assim, quando chegar ao final do corredor onde estará exposta uma das múmias, você poderá sentir o valor e o respeito que as culturas andinas atribuem a seus rituais.

museu-salta-argentina

As peñas folclóricas

Esses são os lugares perfeitos para você ouvir, dançar e comer como se fosse um típico norteño. Na rua Balcarce, estão as principais opções de peñas e nós visitamos uma das mais tradicionais, a Los Cardones. Se prepare para muito ritmo de Chacarera, Zamba e Carnavalito. Uma boa dica de peña também é La Casa del Molino, mas nós não pudemos conhecer por que estava fechada na data.

Peña Los Cardones

Peña Los Cardones

Outra atração conhecida de Salta é a subida ao Cerro San Bernardo, seja de teleférico ou encarando uma hora de caminhada pela escadaria. Nós não demos muita sorte e fomos em um dia nublado. Mas, de qualquer maneira, dá para ter uma boa vista panorâmica da cidade.

Vista do Cerro San Bernardo

Vista do Cerro San Bernardo

Onde ficar em Salta

As melhores opções de hotéis e hostels estão no centro da cidade, próximos à Plaza Central, e nós recomendamos o Las Rejas Hostel. Está localizado a apenas duas quadras da praça, uma quadra de um supermercado, bem ao lado de uma padaria e a poucos minutos do agito da rua Balcarce. Além disso, o clima do hostel é muito tranquilo, a cozinha é bem equipada e os donos são super gente boa.

Como chegar em Salta

De Buenos Aires, há opções de voos diretos até Salta com duas horas de duração via Andes Líneas Aéreas ou Aerolíneas Argentinas. Se você tiver disposição e tempo para encarar uma viagem mais longa (e um pouco mais econômica), há também a possibilidade de ir em ônibus saindo de Buenos Aires, Córdoba, Tucumán e outras cidades grandes do país. As principais empresas de ônibus são a Andesmar e Flechabus.

Ficou com dúvidas? Gostaria de compartilhar alguma dica? Deixe um comentário ou entre em contato com a gente pelo email contato@mundoavolta.com.

Você Também Vai Gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário