Argentina Quebrada de Humahuaca

Tilcara: muito além das paisagens no norte argentino

A Quebrada de Humahuaca, na província de Jujuy, é uma das regiões mais lindas da Argentina. Fica no extremo norte do país e possui diversas montanhas coloridas, que encantam turistas do mundo inteiro. Paisagens de tirar o fôlego, como se não bastasse a altitude dessa região, que varia entre 2.000 e 3.000 metros. Mas, sempre que eu e a Gabi chegamos a esses lugares lindos, buscamos conversar com as pessoas do lugar para entender o que as paisagens significam para elas. Assim elas ganham um sentido mais profundo e, acredite, ficam ainda mais bonitas. Por isso, a nossa maior recomendação é que você também busque atividades que apresentem a cultura desse lugar. E Tilcara é a cidade ideal para você começar a entender os povos norteños e, claro, desfrutar suas belíssimas paisagens. Depois de muita conversa com representantes da cultura de lá, começamos a entender melhor quem é o tilcareño e saber aonde ir para viver experiências genuínas nesse importante povoado do norte.

tilcara-norte-argentino

Walter e Chacho, dois personagens importantes da cultura de Tilcara

 

Tilcara é o povoado mais turístico da Quebrada de Humahuaca. E isso tem algumas consequências negativas, como a maior quantidade de pessoas nos hostels e restaurantes. Mas, é ideal para você armar a sua base e conhecer as demais atrações da Quebrada, já que está localizada entre outras duas cidadezinhas imperdíveis de Jujuy: Purmamarca (26km) e Humahuaca (44km). Mesmo com toda a influência do turismo, Tilcara se mantém como a capital cultural do norte argentino e tem muita influência numa conquista muito importante da Quebrada de Humahuaca: em 2003, foi declarada Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade. Lá, você pode viver diversas experiências riquíssimas e aprender um pouco da visão de mundo dos povos aborígenes do norte.

Festas andinas

Nessa região, a grande maioria da população é indígena. São descendentes dos primeiros habitantes do norte argentino, que viviam por lá há 10.000 anos atrás. A chegada dos colonizadores espanhóis e da igreja católica causou mudanças na vida desse lugar, mas os costumes ancestrais estão cada vez mais vivos. E a melhor maneira de sentir a força dessa cultura é através das suas festas, que mesmo sofrendo influências da igreja, continuam andinas na sua essência. Dizem que são mais de 400 e, para participar, o turista deve demonstrar profundo respeito e interesse. Seguem algumas pra você ter uma ideia:

Carnaval

É a maior festa do norte argentino e o de Tilcara é o mais famoso. A celebração começa com o desenterro do “diabo” que foi enterrado no carnaval anterior, na encosta das montanhas. Depois, diversos homens fantasiados descem aos povoados dançando músicas tradicionais e percorrem as ruas provocando as pessoas. À noite, os “diabos” são convidados para festas em diferentes casas da comunidade, que estão de portas abertas para quem quiser chegar e compartilhar muita música, comida e bebida.

Mês da Pachamama

Em 1º de agosto é celebrado o Dia da Pachamama (mãe terra), mas homenagens são feitas durante todo esse mês. Os povos andinos acreditam que, fazendo homenagens e oferendas à Pachamama, receberão em troca boas colheitas e saúde para a família. Seja em casa ou em espaços comunitários, o momento mais importante dessa celebração é quando as pessoas fazem buracos na terra e oferecem folhas de coca, bebidas alcoólicas, cigarros e comidas à base de milho.

Dia das Almas

Acontece nos dias 1 e 2 de novembro e nós tivemos a sorte de estar em Tilcara bem nessa época. Como mostramos nesse vídeo, no Dia das Almas os tilcareños homenageiam pessoas que morreram recentemente oferecendo pães com diversos formatos e tudo que ela gostava, acreditando que elas voltam à vida nessa data. Durante a noite, eles passam de casa em casa e participam do ritual de diferentes famílias. Você pode fazer como nós e fazer a ronda junto com eles.

Oferenda do Dia das Almas

Oferenda do Dia das Almas

 

Peña do Carlitos

As peñas são bem comuns em todo o norte argentino e ideais para os viajantes desfrutarem o melhor dessa cultura. O Carlos Cabrera, mais conhecido como Carlitos, é uma das pessoas especiais que a gente conheceu por lá e tem uma peña na praça central de Tilcara. Nesse tipo de restaurante, você pode provar a deliciosa culinária da região e ainda escutar canções e histórias típicas da Quebrada de Humahuaca. O espetáculo fica por conta do Carlitos, que é um famoso músico tilcareño e vai fazer você se sentir em casa.

Carlitos Cabrera - Peña do Carlitos

Carlitos Cabrera – Peña do Carlitos

 

Pucará de Tilcara

Essas ruínas são uma boa oportunidade para você viajar no tempo e imaginar como eram as sociedades locais há 900 anos atrás. Essa fortaleza foi construída pela tribo Tilcara e tinha funções defensivas, sociais e religiosas. Mas, a Pucará também é símbolo do descaso dos governos com os povos afastados do norte: bem no alto dessas ruínas, foi construído um monumento enorme em homenagem ao arqueólogo que explorou o lugar, com uma forma completamente distinta das construções andinas antigas, sem respeitar essas culturas. Por isso, muitos locais não enxergam o Pucará com bons olhos.

pucara-tilcara-jujuy-argentina

Alfajores El Molle

Nós viajamos bastante pela Argentina, mas só em Tilcara encontramos alfajores de quinoa, cuaresmillo e cayote – frutos típicos da região. Na loja dos alfajores artesanais El Molle, além dos alfajores com ingredientes locais, você vai conhecer diversos produtos típicos dos Andes.

Onde ficar em Tilcara

Nós ficamos em um hostel bem aceitável chamado Albahaca. Fica na rua Padilla, 731. Tivemos que encarar uma boa subida para chegar até ele, mas é exatamente por estar no alto do povoado que você vai tomar café da manhã com uma bela vista para as montanhas. O mesmo dono possui outro hostel mais próximo do centro e da terminal, chamado Tilcara Hostel.

Como chegar em Tilcara

Diversos ônibus saem todos os dias da capital San Salvador de Jujuy para Humahuaca, que está a 128km de distância. Se você estiver em Buenos Aires, ir até San Salvador é a única forma de chegar ao povoado. Você pode ir de avião ou de ônibus até a cidade. Outra alternativa é pegar um avião até a cidade de Salta, outro grande centro do norte por onde os viajantes começam a explorar a região, e seguir para Jujuy de ônibus. Muitas pessoas que viajam pela Bolívia aproveitam para cruzar a fronteira ao sul do país e ir até a Quebrada, o que também é uma opção se você está pensando em fazer um mochilão pela América do Sul.

Com quem falar

Para viver profundamente a cultura tilcareña, informe-se sobre as datas de cada festa e encontre você mesmo o nosso amigo Walter, que é o encarregado do museu Soto Avedaño, ou nosso amigo Carlitos, dono da peña que mencionamos logo acima. Se estiver interessado em conhecer a cultura tilcareña, eles terão o maior prazer de convidar você para participar de cada celebração junto com a sua comunidade.

Deixe seu comentário e conte pra nós o que você achou desse post. Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Fale com a gente pelo e-mail contato@mundoavolta.com

Você Também Vai Gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário