Argentina Cafayate

Um guia para conhecer Cafayate e a Quebrada de las Conchas

Os viajantes são privilegiados, pois chegam a todos os lugares com “olhos de primeira vez”. Foi assim que o Martín, professor e compositor de Cafayate, nos falou sobre a “inveja branca” que sentia dos turistas que se encantam todos os dias com as belezas da sua terra.

O Martín é tão apaixonado pelo lugar, que diz nunca querer sair de lá. E para você entender um pouco melhor sobre essa região ainda tão pouco conhecida pelos brasileiros, separamos algumas dicas sobre como chegar, onde ir, o que visitar e onde ficar em Cafayate. Assim, além de chegar lá com olhos de primeira vez, você fica sabendo de algumas informações bem úteis para curtir ainda mais a viagem.

Prazer, norte argentino

Cafayate foi a nossa porta de entrada para o norte da Argentina, uma região que está ganhando o coração dos viajantes da América Latina e Europa. E uma ótima opção para quem quer sair do circuito tradicional Buenos Aires-Mendoza-Bariloche, por exemplo. Cafayate está localizada nos Valles Calchaquíes, um sistema de vales e montanhas que se estende pelas províncias de Tucumán, Catamarca e Salta – onde está Cafayate. O povoado tem 14 mil habitantes e está a 180km ao sul da cidade de Salta, que é a capital da província.

Das terras cafayateñas para cima, se prepare para uma atmosfera totalmente diferente do centro e sul da Argentina. Lá, o clima é árido, os dias são quentes e as noites frias. Os cactos ou cardones, como são chamados, estão por todos os lados. As formações rochosas ganham cores impressionantes. Os povos originários são compostos por pessoas humildes e cheias de sabedoria ancestral.

Como chegar em Cafayate

Toda a nossa viagem em território argentino foi feita de ônibus. E, até o momento, o que encontramos é uma rede de transporte rodoviário que funciona muito bem, obrigada. Por isso, recomendamos que você planeje a sua ida aos Valles Calchaquíes saindo de ônibus de alguma capital do norte, como Tucumán ou Salta. Para chegar até essas cidades, empresas como Andesmar ou Flechabus oferecem trajetos desde grandes centros como Buenos Aires.

Quando fomos a Cafayate, estávamos em Córdoba e, de lá, viajamos 10 horas até Tucumán. Depois, pegamos outro ônibus de 3 horas e meia para chegar na cidade.

Se você estiver na capital portenha e disposto a investir em uma passagem de avião, são apenas 2 horas de voo até Salta. Muitas pessoas fazem isso e acaba valendo a pena, pois a viagem de ônibus desde Buenos Aires leva em torno de 20 horas e a diferença de preço comparada à passagem de avião é pequena. Chegando a Salta, você pode alugar um carro ou pegar um ônibus até Cafayate, para as últimas 3 horas de viagem. Também é comum turistas alugarem um carro na capital da província para percorrer a Ruta 68, que une a capital ao Valle Calchaqui e às cidades de Cafayate e Cachi. O caminho é tão lindo que já vale a viagem.

Ah, um aviso aos mais aventureiros que gostam de pedir carona: o norte da Argentina é super seguro para quem gosta de viajar “en dedo“, como dizem por aqui. Basta se informar sobre os melhores lugares para parar e esperar alguns minutos. Sempre aparece uma boa alma disposta a levar você ao seu destino. Lá foi a primeira vez que experimentamos pedir carona, no trajeto Cafayate-Salta, e nos divertimos muito. 🙂

O que fazer em Cafayate

Todas as principais atrações da cidade podem ser conhecidas em poucos dias. Nós ficamos uma semana por lá, mas, tranquilamente, 3 ou 4 dias são suficientes. São dois os principais atrativos aos viajantes: visitar vinícolas e passear na Quebrada de las Conchas. Como explicamos no post sobre quais vinícolas visitar em Cafayate, lá você pode recorrer as bodegas mais legais da região a pé ou alugando uma bike. Isso facilita bastante a vida daqueles que são amantes do vinho, mas tem pouco tempo na sua passada por lá.

Já a Quebrada de las Conchas, o passeio obrigatório para quem está na cidade, pode ser visitada em um turno. O tour custa 100 pesos (em torno de 40 reais) e você pode comprar diretamente com uma das diversas agências da cidade ou solicitar no hostel em que estiver hospedado. Nós tivemos muita sorte e, ao invés de comprar um tour, pegamos carona com um pessoal que havia alugado um carro.

No passeio, você vai conhecer a famosa Ruta 68 e visitar os monumentos naturais que formam a Quebrada: Los Castillos, Las Ventanas, Garganta del Diablo, Anfiteatro, La Yesera, El Obelisco e El Sapo. O lugar é considerado um sítio arqueológico onde já foram encontrados fósseis marinhos de bilhões de anos, o que deu origem ao nome Quebrada de las Conchas.

quebrada-las-conchas-castillos--cafayate

Los Castillos

 

cafayate-quebrada-las-conchas-ventana

La Ventana

 

A Garganta del Diablo e o Anfiteatro eram considerados lugares sagrados para a antiga civilização indígena que habitava a Quebrada, os Diaguitas. Segundo a cosmovisão andina, a Garganta representava uma porta para o “inframundo” – mundo inferior, e o Anfiteatro era uma porta para o “supramundo”. Por isso, quando visitar esses dois pontos, tenha consciência de que você está entrando em um lugar onde já foram realizados rituais e cerimônias importantíssimas para as culturas ancestrais da região.

cafayate-garganta-del-diablo

Garganta del Diablo

 

anfiteatro-quebrada-las-conchas-cafayate

Anfiteatro

 

No Anfiteatro, sempre tem alguém cantando e “testando” a acústica criada pela natureza. É tão perfeita que favorece até os mais desafinados. 🙂

 

– ASSISTA AO VÍDEO: “Vinho e cultura norteña em Cafayate, Salta.” –

 

Onde ficar em Cafayate

Mesmo sendo uma cidade bem pequena, em Cafayate você vai encontrar uma boa oferta de hotéis e hostels. Em qualquer lugar você estará perto do centrinho, das bodegas e dos mercadinhos, mas nós recomendamos ficar em algum lugar que você possa desfrutar da vista para as montanhas. Não são todos os hostels que possibilitam isso. Nós ficamos no Lo de Chichi e todos os dias tomávamos café da manhã com essa vista incrível.

Vista do nosso hostel para as montanhas

Vista do nosso hostel para as montanhas

 

Dicas extras

Algumas particularidades importantes sobre a região:

– Assim como todo o norte argentino, a internet por lá não é das mais rápidas. Aproveite para praticar o “desapego” do seu smartphone.

– Se possível, leve dinheiro em espécie. A cidade tem apenas dois caixas eletrônicos que, constantemente, ficam sem rede em função dos grandes ventos que atingem a região em algumas épocas do ano.

– Use bastante protetor solar, hidratante labial e tome bastante água.

– Para evitar problemas com a altura (Cafayate está a 1.700m acima do nível do mar), evite comidas muito pesadas e não exagere no álcool nem na carne vermelha.

 

Deixe seu comentário e conte pra nós o que você achou desse post. Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Fale com a gente pelo e-mail contato@mundoavolta.com

Você Também Vai Gostar

1 Comentário

  • Comentar
    Rafaela Ely
    3 de julho de 2017 em 17:49

    Minha próxima parada na Argentina. Gracias pelas dicas, chicos.
    Rafa Ely
    http://www.melevaembora.com.br

  • Deixe um Comentário