Chile Ilha de Chiloé

Um guia para conhecer a mística Ilha de Chiloé, no Chile

Quando começamos a planejar o nosso roteiro de viagem pelo Chile, criamos uma ideia fixa: conhecer a Ilha de Chiloé. Mas, assim como a mitologia que tornou a ilha tão famosa, nós também tínhamos alguns mitos em mente. Muitas pessoas já haviam nos dito que Chiloé era muito cara, de difícil acesso e que o povo era um pouco fechado. O lugar ficou no nosso imaginário como um destino exótico, quase inatingível, e por pouco não desistimos de ir. Até que, em janeiro desse ano, cruzamos para o Chile pelo sul logo depois da nossa viagem pela Patagônia argentina. Chiloé estava logo ali pertinho, na região dos lagos, e apenas alguns quilômetros nos separavam desse mistério. Com um pouquinho de planejamento, compramos as passagens de barco para descobrir esse lugar ainda tão novo para os viajantes brasileiros.

Passamos 10 dias percorrendo a ilha e preparamos essas dicas para descomplicar a vida de todo mundo que busca viver essa experiência tão autêntica e diferente de tudo que você encontra em outras partes do Chile. Aí vai o nosso mini guia pensado para ajudar vocês:

Quando viajar para Chiloé

Durante a maior parte do ano, a ilha fica abaixo de chuva. É entre os meses de dezembro e março que o sol aparece, o tempo firma e o calor colabora para o turismo. Essa é a alta temporada para os chilotes e, para aproveitar, nos meses de janeiro e fevereiro acontecem as “Fiestas Costumbristas” por todos os pueblos da ilha. Se programe para estar lá nessa época e você terá festas típicas para visitar em todos os finais de semana. Um verdadeiro banquete de cultura chilota.

– ASSISTA AO VÍDEO: “Chiloé parte 1 – festas folclóricas.”-

Como chegar em Chiloé

Se você estiver em Santiago, pode comprar uma passagem de ônibus ou avião até Puerto Montt, maior cidade de onde saem barcos todos os dias para a ilha. Puerto Montt está a 1mil km de Santiago, ou seja, aproximadamente 19 horas via terrestre. Um trecho de ônibus custa aproximadamente 30mil pesos chilenos (em torno de R$200) e as principais empresas que operam são Pullmann, TurBus e Cruz del Sur. De Puerto Montt, você também pode comprar ônibus diretos para cidades de Chiloé, não sendo necessário comprar uma passagem separada de barco, já que os veículos fazem esse trajeto dentro da balsa. Caso você vá em carro próprio ou queria atravessar por sua conta, as empresas marítimas que operam a travessia são Navimag e Naviera Austral. Um trecho custa em torno de 12mil pesos, R$75.

Se você chegar em Chiloé via Puerto Montt, isso significa que estará entrando pelo norte da ilha e o seu primeiro destino será Ancud, uma das principais cidades depois da capital Castro. Já se você chegar por outro destino, como nós chegamos pelo sul, por exemplo, provavelmente Quellón será a sua porta de entrada. Nós fizemos a travessia saindo de uma pequena cidadezinha na Patagônia chilena chamada Chaitén e, de lá, tomamos um barco para Quellón. Caso você cruze para a ilha por qualquer cidade que não seja Puerto Montt, fique atento à periodicidade dos barcos da Navimag ou Naviera Austral, pois provavelmente eles sairão somente duas ou três vezes por semana para Chiloé.

Quanto tempo ficar em Chiloé

Nós passamos 10 dias percorrendo a ilha de sul a norte, o que não é muito difícil, já que Chiloé tem menos de 200km de comprimento de um extremo a outro. O transporte lá é muito simples, com ônibus e vans que conectam toda a ilha, e você pode conhecer mais de um pueblo em um mesmo dia. Nós recomendamos que você fique uma semana por lá, se quiser entrar na cultura e participar de, pelo menos, uma festa típica no final de semana.

Cidades que visitamos

Nós nos hospedamos em duas cidades importantes de Chiloé: Ancud, extremo norte, e Castro, no centro. Porém, isso não é necessário, foi apenas uma escolha nossa para termos como base as duas principais cidades.

Saiba mais:

ANCUD

Foi a nossa porta de entrada para a cultura chilota e é a segunda cidade mais desenvolvida da ilha, onde você ainda pode encontrar a cultura originária muito viva. Logo no primeiro dia que chegamos lá, já descobrimos que estavam acontecendo as fiestas costumbristas, conhecidas como as melhores festas de toda Chiloé.  Ancud oferece uma boa estrutura de hospedagem, restaurantes (ou melhor, “picás”) e um pequeno mercado público com frutos do mar fresquinhos.

curante-prato-tipico-chiloe-chile

Lucas devorando um prato de curanto na feira de Ancud

 

curanto-al-hoyo-chiloe

Saindo um curanto “al hoyo”, preparado em um buraco na terra com o calor das pedras

 

Onde ficar em Ancud: não poderíamos ter encontrado um lugar melhor para nos hospedarmos por lá. O hostel 13 Lunas está exatamente em frente à terminal de ônibus, tem uma infraestrutura excelente, um preço super em conta e o melhor café da manhã que já comemos em um hostel (sério).

De Ancud você pode fazer um dos passeios mais procurados de Chiloé, a visita às “pingüineras” de Puñihuil. Uma pequena praia onde você toma um bote para ver de pertinho os pinguins e lobos marinhos que habitam a ilha.

pinguineras-punihuil-ancud-chiloe

Pingüineras de Puñihuil

 

mar-brava-chiloe

Mar Brava, parada obrigatória no caminho às Pingüineras

 

CASTRO

Capital e maior cidade da ilha. É lá que estão os famosos palafitos característicos de Chiloé, marca registrada da arquitetura antiga local. A cidade em si não tem grandes atrativos, mas vale passar uma ou duas noites por lá ou até considerar Castro como a sua base para explorar o restante do território chilota.

palafitos-castro-chiloe

Palafitos de Castro

 

Em Castro também está uma das 16 igrejas de Chiloé que são Patrimônio da Humanidade e que atraem turistas do mundo inteiro. Todas são feitas de madeira e, muitas delas, têm o teto que remete ao formato de um barco.

igreja-castro-chiloe

Igreja de Castro

 

Onde ficar em Castro: por ser a capital, Castro é a cidade que mais oferece opções de hospedagem. Hostels no centro da cidade, palafitos e cabanas MUITO charmosinhas. Como ficar no centro não é a coisa mais linda do mundo, nós recomendamos que você busque lugares onde possa estar perto d’água. Nós tivemos a sorte de nos hospedar nas Cabanas Palafitos los Pescadores, na beira da península de Nercon, e amamos o lugar. Não é pra menos, olha só:

congresso-nomade-digital

Nada mal trabalhar com essa vista, né?!

 

DALCAHUE

Reserve uma manhã para visitar Dalcahue, sua feirinha de artesanatos e o mercado central. Almoce por lá em uma das cocinerías, onde você pode comer um peixe fresquinho, empanadas ou pratos típicos como Curanto e Paila Marina. Lá também está uma das igrejas tombadas como Patrimônio da Humanidade.

ACHAO

Uma pequena cidadezinha da ilhota de Quinchao (sim, os nomes em Chiloé são todos assim, complicados). Lá também acontecem festas folclóricas, como a festa da batata, por exemplo. São mais de 250 tipos diferentes de batatas em toda a ilha, então imagine a importância  desse alimento para a economia e gastronomia local. Achao tem uma beirinha de praia bem simpática para os dias de verão, onde o pessoal vai se banhar e praticar esportes aquáticos. Você pode chegar a Achao tomando uma van no porto de Dalcahue, um programa legal para a parte da tarde, após um almocinho por lá.

– ASSISTA TAMBÉM AO VÍDEO: “Nossas descobertas na Ilha de Chiloé”. –

Mitos de Chiloé

Uma informação muito importante antes de chegar na ilha: você vai ouvir muitas lendas de qualquer morador local, principalmente os que trabalham no mar. Todo mundo tem uma história para contar. Alguém conhece alguém que já viu o Trauco, a Pincoya e outros bruxos e figuras mitológicas. Dizem que não é história de pescador, viu? Falando em mitos, lembra lá no início quando eu disse que achávamos que o povo era fechado? Pois é, olha o sorrisão com que todo mundo nos recebeu por lá.

ramon-escultor-mitologia-chiloe

Ramón, escultor de figuras mitológicas

 

Chiloé, seu povo, suas belezas e seus frutos do mar deixaram saudades na gente. E esperamos que conquistem você também.

 

Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão? Deixe seu comentário ou entre em contato com a gente pelo e-mail contato@mundoavolta.com.

Você Também Vai Gostar

2 Comentários

  • Comentar
    thiago kimio
    18 de outubro de 2016 em 00:08

    Pessoal, gostei muito das dicas e vou aproveita-las bastante. Infelizmente só dormirei uma noite na Ilha de Chiloé. Vocês recomendariam ficar em Ancud ou Castro? Abraços e Parabéns

    • Comentar
      Gabi Nascimento
      19 de outubro de 2016 em 14:48

      Oi, Thiago! Que bom que as dicas serão úteis pra você. Então, depende de que partes da ilha você quer conhecer e por onde você vai chegar. Se você chegar por Puerto Montt e quiser conhecer mais as cidades do norte da Ilha, a melhor opção seria ficar em Ancud. Se você chegar pelo sul da Ilha e quiser conhecer mais o sul ou centro, o melhor seria ficar em Castro. Ancud é mais bonita que Castro, na nossa opinião. Mas, de Castro fica um pouco mais fácil você se locomover para qualquer pueblo da ilha. A rodoviária de lá funciona bem. De qualquer forma, a ilha é pequena e fácil de ser conhecida desde qualquer ponto. Boa viagem e espero ter ajudado. Abraços, Gabi

    Deixe um Comentário