Montevidéu Uruguai

O que fazer em Montevidéu: descubra o candombe

Imagine que você está em Montevidéu, turisteando pelas ruas dos bairros Sul e Palermo. De repente, você escuta uma batucada e vê um grupo grande de tamborileiros subindo pela rua, tocando um ritmo africano que te faz querer dançar. Você ia pensar que é carnaval ou alguma data festiva. É possível. Mas, a verdade é que pode ser um final de semana qualquer durante o ano.

Quando a gente descobriu o candombe, foi mais ou menos assim.

Conhecer esse ritmo afro-uruguaio foi uma das experiências mais incríveis que vivemos no país, e você não pode deixar de fora da sua passagem por lá.

Bairro Sul e Palermo

Para conhecer o candombe na sua essência, você precisa passear pela rua Isla de Flores, no Bairro Sul. Foi lá que se estabeleceram as primeiras famílias de escravos africanos quando chegaram no Uruguai, no século XVIII. Naquela época, essas famílias saíam pelas ruas aos domingos a tocar tambor, como uma forma de demonstrar resistência e relembrar suas raízes africanas. O candombe afro-uruguaio nascia aí.

Mais de 200 anos depois, as comparsas de candombe seguem preservando a tradição iniciada por aquelas famílias. Hoje, cada comparsa pode ter de 3 a 300 integrantes, entre tamborileiros, personagens históricos e bailarinas.

Comparsa La Roma no dia do desfile de 6 de janeiro

Comparsa La Roma no dia do desfile de 6 de janeiro

 

Na Isla de Flores você pode visitar a Casa de Cultura Afro-Uruguaia e se informar sobre as datas para assistir comparsas realizando desfiles no local. Normalmente, a prefeitura organiza desfiles em feriados como 6 de janeiro, Dia de Reis ou ao longo de todos os 40 dias de carnaval. Mas, como nós falamos no início do post, é muito provável que você se depare com uma comparsa tocando em algum domingo qualquer ao longo do ano.

– ASSISTA AO VÍDEO: “Descubra o candombe e quem faz ele acontecer em Montevidéu.”

Nesses desfiles você vai encontrar poucos turistas, muitos jovens de Montevidéu, famílias assistindo da sua janela, artistas, velhinhos e crianças. É uma festa muito democrática e também bastante uruguaia.

Senhora assistindo ao desfile da sua sacada, na Isla de Flores

Senhora assistindo ao desfile da sua sacada, na Isla de Flores

 

Foi em um desfile de “chamadas de candombe” no feriado de 6 de janeiro, na Isla de Flores, que conhecemos o Leo. Ele é um dos líderes de uma comparsa tradicional em Montevidéu, a La Roma.

Além de ter se transformado em um grande amigo, ele nos abriu as portas da La Roma e nos convidou para assistir a um desfile de candombe em outro bairro. Uma experiência que a gente não pôde deixar de conferir.

A tradição que se espalhou por todos os bairros

Caso você queira viver a experiência de ver o Candombe fora da Isla de Flores, uma boa opção são os desfiles de “corso barrial”, que acontecem principalmente em janeiro e fevereiro. Esses desfiles são organizados pela prefeitura para que as comparsas se apresentem no seu bairro de origem. Para viver essa experiência, recomendamos que você busque algum amigo local para acompanhar e indicar algum bairro.

Nós filmamos a La Roma no desfile de “corso” no bairro Curva de Maroñas. Pudemos assistir tudo do início ao fim: enquanto eles aqueciam os tambores, preparavam o figurino, bebiam, confraternizavam e saíam todos juntos para o grande momento.

Leo, Libertad (filha do Leo) e Gabi, no desfile da La Roma

Leo, Libertad (filha do Leo) e Gabi, no desfile da La Roma

Mais informações

Para assistir as comparsas de Candombe que tocam nas ruas aos finais de semana, como nos bairros Sul e Palermo, você não precisa pagar nada.

Para assistir ao desfile oficial de chamadas de Candombe, organizado pela prefeitura, clicando aqui você pode acompanhar a programação.

Quanto? A partir de R$ 15.

Você Também Vai Gostar

Nenhum Comentário

Deixe um Comentário