Chile Pisco Elqui

Pisco Elqui, uma parada obrigatória no caminho ao Atacama

A poetisa Gabriela Mistral, ícone da literatura chilena, adorava cada pedacinho do Vale do Elqui. E é nesse vale, a 570 km ao norte da capital Santiago, que está o mágico povoado de Pisco Elqui.

Dizer “mágico” não é exagero. Pisco Elqui possui menos de 1.000 habitantes e é um lugar cheio de misticismo, rodeado por montanhas de minerais que parecem brilhar nas noites de lua cheia. A energia do lugar é tão especial que os locais afirmam “ver coisas raras”. E alguns centros de Yoga e prática de Reiki se instalaram por lá (onde você, inclusive, pode se hospedar).

As condições geográficas do vilarejo acabaram atraindo também algumas instituições chilenas e internacionais a abrirem observatórios astronômicos na região, principalmente para realizar estudos sobre a movimentação dos planetas e as estrelas. O povoado é considerado um dos melhores lugares DO MUNDO para observar o espaço. Nada menos que isso.

E, como se não bastasse todo esse clima de cidade pequena misteriosa, Pisco Elqui ainda tem destilerías de pisco e vinhedos pra você conhecer. Essa foi uma grande dica de uma amiga nossa que fez um mochilão pela América do Sul e, até hoje, seguimos inspirando todo mundo a incluir Pisco Elqui na sua viagem pelo Chile.

Se você está planejando uma viagem de Santiago ao Deserto de Atacama, por exemplo, essa paradinha no caminho vai trazer um toque ainda mais especial para a sua passagem pelo país.

Saiba por que:

 

O que fazer em Pisco Elqui

Passeio de bike pelos vinhedos

Uma ótima forma de conhecer Pisco Elqui é alugando uma bicicleta. No próprio hostel onde nos hospedamos (Hostal San Pedro), era possível comprar um passeio para descer por 18 km de bicicleta pelo vale. Você pode ir no seu próprio ritmo, parando para descansar, fazer fotos e visitar destilerías de pisco no caminho. Nós achamos o trajeto super tranquilo, mas a bicicleta precisa estar com os freios em dia. Olha só o visual:

pisco-elqui-chile

Início da descida pelos vinhedos de Pisco Elqui

 

Visitar a “destilería” de pisco mais antiga do Chile

A Fundo los Nichos é a “pisquera” mais antiga em funcionamento no país. O lugar está aberto ao público diariamente, com visitas guiadas que contam todas as lendas do lugar (que são arrepiantes e divertidas), mostram detalhes da produção de pisco artesanal e, claro, degustação ao final da visita. A dica é parar por lá durante o passeio de bike pelo vale.

pisco-elqui-fundo-los-nichos

As garrafas com mais de um século de histórias pra contar. Foto: Maneht, blog Superchoriflai

 

Observatório astronômico

Deixei o melhor para o final. Não que as outras atrações turísticas de Pisco Elqui sejam menos especiais. Mas, ter ido a um observatório astronômico nesse povoado mudou a minha forma de olhar para o céu e para as estrelas. Imagine estar em um dos melhores pontos do mundo para observar o espaço. E ter um astrônomo ali para explicar cada fenômeno que você vê.

Bem, quase todos os fenômenos. Nosso guia nos contou que já houve situações em que os turistas avistaram luzes no céu que ele não sabia explicar. :O

IMPORTANTE: fique atento ao período do mês que você estará por lá, pois os tours aos observatórios não acontecem em noites de lua cheia ou com muita luminosidade.

Falando em lua, olha só a foto que o astrônomo consegue tirar com o seu celular usando o telescópio:

pisco-elqui-observatorio-astronomico

Melhor souvenir dessa noite no observatório

 

Como chegar em Pisco Elqui

La Serena é a maior cidade próxima de Pisco Elqui, e é de lá que saem os ônibus para o vilarejo. Quando fomos para lá, pegamos um ônibus de Santiago até La Serena (aproximadamente 6 horas) e, ao chegar, compramos outra passagem de ônibus até Pisco Elqui (mais 1h40min). As principais empresas de ônibus que operam são Condor Bus e Tur Bus,  e um trecho custa em torno de 8.000 pesos chilenos (aproximadamente R$50).

Você também pode ir de Santiago até La Serena de avião, pela LAN Chile. A viagem custa em torno de 35 mil pesos (aproximadamente R$200), mais as taxas.

Onde ficar em Pisco Elqui

Nós ficamos no Hostal San Pedro, um lugar muito acolhedor, próximo à praça central do vilarejo. O dono, Santiago, é um senhor muito divertido e cheio de aventuras pra contar. E o lugar tem uma vista privilegiada do vale.

pisco-elqui-onde-ficar

Vista do Hostal San Pedro

 

Além desse hostel, nós descobrimos um lugar chamado Cabaña y Hostal Doña Ema, um casarão familiar com mais de 150 anos que conta com quartos privados, cabanas, estacionamento e cozinha. Os proprietários também trabalham com artesanato e técnicas terapêuticas, ou seja, o lugar tem uma energia muito boa.

Quando ir e quanto tempo ficar

Nós visitamos Pisco Elqui no mês de abril, quando os dias eram bem quentes e as noites frias. O inverno é bastante rigoroso na região, então nós recomendamos que você faça a sua viagem entre os meses de outubro e abril. Para percorrer o vilarejo com calma, recomendamos que três dias por lá são suficientes.

 

Você gostou dessas dicas? Então deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar com aquele amigo que está de viagem marcada para o Chile. 🙂

Cadastre-se e faça parte da nossa comunidade de viajantes:

Você Também Vai Gostar

3 Comentários

  • Comentar
    Cecilia
    23 de agosto de 2016 em 10:26

    Que legal ler o relato de vocês, Gabi! 🙂 Vou passar o ano novo em Pisco Elqui e estou animada para conhecer esse lugar mágico. rs
    Vou passar 3 dia se meio lá e estou me perguntando se vale a pena alugar um carro para conhecer as cidades por ali (Vicuña, Cochiguaz, Horcón, Paihuano…). Você tem alguma dica sobre isso?
    Ah e que moeda vocês acham que valeu mais a pena usar lá?

    • Comentar
      Mundo à Volta
      23 de agosto de 2016 em 14:32

      Oi, Cecília! Que sonho passar o ano novo lá, nossa! Então, nós fizemos tudo de ônibus, não saberíamos dizer se é bacana fazer de carro. Mas, acredito que sim. Não tem muito erro, e de carro vocês ficam livres pra curtir o quanto quiser cada lugar. Fomos a Vicuña e passamos um dia lá, é uma vila pequeninha também e não tããão bonita quanto Pisco Elqui. Mas, vale a visita. Na praça central tem uma sorveteria muito clássica, de uma senhorinha que nem sabemos se ainda está viva. Quando fomos lá, em 2014, quem administrava a sorveteria era a filha dela. Os sorvetes são artesanais! Espero que você aproveite muito por lá. Uma ótima viagem. Beijos, Gabi

  • Comentar
    gersonazgo
    30 de agosto de 2016 em 11:17

    Ótimo!

  • Deixe um Comentário